8 de dez. de 2006

FESTA DOS VETERANOS DA BRIOSA!!

Mais uma festa de confraternização, desta feita dos jogadores profissionais veteranos da Briosa querida. No encontro, estavam presentes vários pupilos do seu Arnaldo – o velho Papa. O brilhantismo foi fruto do empenho de nosso querido Walter Dias, um verdadeiro ícone como radialista na história de nossa burrinha e também, da colaboração da diretoria e de alguns amigos.
Homenagens foram prestadas e todas bastante justas. Na vez de Norberto Moreira, este ressaltou o grande feito da Lusa quando de sua ascensão à divisão especial no célebre jogo contra a Ponte Preta, e brincou dizendo que os adversários quando os enfrentavam, sempre se queixavam de falta de espaço no meio de campo. Também pudera, com o tamanho da cabeça dele e do Pereirinha...!! Queria mesmo é ver o Rogério Ceni batendo falta com os dois na barreira.
Outra homenagem, bem merecida, foi para o nosso querido Gonçalo. Ainda hoje, com seus setenta e dois anos, exibe toda a sua habilidade e esperteza no domínio da bola, que foi sempre sua privilegiada. Mas, dentre todas. uma em particular, lembrou-me dos bons tempos em que os times de várzea sobreviviam pelo esforço e dedicação de um único abnegado e, talvez a este, pelos seus 33 anos de devoção à A.A. Portuguesa Santista, deva-se render as maiores honrarias: ao meu amigo Ciaglia.
Serginho, sempre brincando com os presentes, mostrava preocupação com o reduzido número de veteranos, presentes a cada ano. Isto porque, alguns deles assumiram compromisso com Ele lá em cima. Portanto, pedia mais brevidade nos encontros, temendo que o time celestial convocasse mais alguém. - “Acho que eles querem um goleiro”, falava olhando para o Bezerra. Este mais de que pronto retrucava: - “Não estou no bico do corvo não.. Vá se danar”. Mas, é claro, que tudo não passa de uma brincadeira, porque de fato aqueles que já se foram deixaram muitas saudades.
Fiquei surpreso quando soube do falecimento de um elemento folclórico na vida da portuguesa: o Bacalhau. Conversando com o Norberto ele lembrou de uma passagem bizarra e hilária, acontecida durante uma partida de futebol e que merece ser contada.
Era um jogo decisivo entre a Portuguesa e a Amatonense. A Portuguesa vencia por 1x0 e sofria forte pressão do adversário, e quando o jogo já caminhava para o seu final, eis que surge, como um desses heróis de quadrinhos, ele..... o Bacalhau...invadindo o campo, atropelando a tudo e a todos e simulando, como era de seu costume, uma morte súbita. O centro avante do time adversário, inconformado com a palhaçada, pegou Bacalhau no colo e o arremessou campo a fora. Mas, o inusitado do acontecido foi que o juiz da partida expulsou o tal jogador de campo. Portanto, o grande vencedor foi o nosso super-herói tupiniquim: o Bacalhau. E que Deus o tenha.
Gostaria de me estender, mas, o blog tem suas limitações. Portanto, as fotos abaixo contarão o resto.

Abraços do Gigi

Nenhum comentário: