25 de mai de 2007

Copa "Saco Roxo"

Termo muito usado nos tempos do COLLOR, lembram-se? Na verdade, é como deveria se chamar, de fato, a Copa Libertadores. Incrível como impera o machismo nesta copa. Existem times compostos somente de “CHICÕES”, fazendo alusão ao xerife da década de 70, o jogador Chicão (Francisco Jesuíno Avanzi), que jogou no São Paulo e no Santos F.C. Na Copa de 78, na partida entre Brasil e Argentina, a certa altura do jogo, a violência praticada pela Argentina era tanta, que o técnico Cláudio Coutinho mandou Chicão se aquecer, e logo após a partida o mesmo ficou conhecido como o “Monstro de Rosário”.

Eu, como adepto fervoroso do futebol arte e sempre defendi a hegemonia do nosso futebol, me senti ultrajado e vilipendiado nos meus conceitos, e saí berrando por todos os cantos que ia rasgar a minha carteirinha de brasileiro.
Pessoal! Chicão era tão irreverente que conseguiu, de forma inédita, receber um cartão amarelo do árbitro José Assis de Aragão, antes do início de uma partida entre o São Paulo e o Palmeiras, em 1976. O motivo ,de certa forma, foi até banal. Chicão aproximou-se de Aragão e disse: “Vê se apita esta m.... direito”, e pronto, lá veio a cartonada. Portanto, devido à punição teve que jogar mansinho, e deu no que deu: o Palmeiras venceu.

Mas, o que é mais intrigante, é o fato de como os árbitros são preparados para esta competição. Por curiosidade, até gostaria de questioná-los a respeito de suas atitudes. Em algum tempo, criou-se o mito de que jogador brasileiro é um “cai-cai”, quando, na verdade, eles agem da mesma maneira contra todos os clubes latinos americanos. Estranha é a avaliação dada por eles, de qual é a intenção de um jogador quando vai de encontro à bola, e acabam sempre não levando em consideração de que existem duas pernas à frente da mesma. Quanto aos carrinhos, nem se fala, permitem “à bangu”.

Até o próprio Santos F.C., na década de 60 com Pelé & Cia., desistiu da competição não só pelo aspecto financeiro, como também pela violência praticada pelos uruguaios e argentinos, pretensos valentes de “mini-saia”. Muitos da minha época lembrar-se-ão de partidas memoráveis do Santos F.C. contra Peñarol e Boca Juniors, mas que na realidade foram autênticas batalhas campais, e o vencedor foi o Santos F.C. fazendo prevalecer a sua técnica.
Acho, no fundo, que o termo aplicado no título desta matéria, explicitamente não significa valentia, e sim, “SACO ROXO MESMO”.


ASSISTIR VÍDEOS (clique)


Abraços do Gigi.

18 de mai de 2007

Bate Bola com Ararinha

Em entrevista exclusiva para este blog, Ararinha (61), um dos maiores técnicos da categoria de base infantil, conta curiosidades sobre sua vida profissional.
Ararinha, Edjard Roberto Ferreira, irmão do nosso querido Araras, encerrou a carreira profissional em 1996, por conta de um derrame cerebral. Recentemente, foi homenageado pelo Milton Neves, no famoso link "Que fim levou". Saiba mais sobre sua carreira clicando aqui.

Blog: Porque decidiu pela carreira de técnico de futebol?
Ararinha: Quando chequei em Santos, fui estudar no Colégio Santista em 1961.Na época morava na pensão com atletas de futebol e não gostava de jogar. Com o tempo acabei gostando, comprei uma bola e um jogo de camisas e fundei a A.A. ALVORADA, de futebol de praia.

Blog: Qual o título mais importante que já conquistou?
Ararinha: Foi em 1978, quando a seleção santista conquistou, pela primeira vez, o título de Campeão de Futebol nos Jogos Abertos de Americana, sob o meu comando.

Blog: Qual o critério que adotava para escalar seus jogadores ?
Ararinha: Precisava gostar de futebol, não ter vícios, ser educado, respeitar os adversários e determinação. Nunca gostei de jogador violento. Acima de tudo ter objetivo, procurar sempre vencer. Digo sempre que "técnico não revela o jogador, o jogador se revela".

Blog: Em sua opinião, qual o jogador da várzea Santista que mais impressionou?
Ararinha: Deodato, e vários jogadores do Democrático.

Blog: O que é preciso para ser um bom técnico ?
Ararinha: Vários técnicos não gostavam de mim, pois acho o jogador o principal protagonista. Técnico precisa ser pai, dar cobertura no material esportivo, no ensinamento de educação, entre outros atributos

Blog: Um momento inesquecível da sua carreira
Ararinha: Foram muitos. Os melhores foram os momentos das muitas vitórias e títulos conquistados.

Blog: Qual o melhor técnico de futebol, atualmente?
Ararinha: Paulo Autuori, atualmente no Japão.

Blog: Porque todo técnico é considerado teimoso?
Ararinha: É muito difícil responder essa pergunta. Trabalhar com jogador é muito complicado porque ele sempre acha que sabe tudo... e quando alcança alguma coisa, a grande maioria fica bobo.

Blog: Na sua carreira, qual a maior alegria e maior decepção?
Ararinha: Respondo com muita seriedade, só tive alegrias. Minha maior alegria foram os campeonatos e títulos que consegui, fruto de um trabalho sério e profissional. Por outro lado, fiquei triste quando Aírton Lira perdeu um pênalti contra o Paulista, em 1984.

Blog: Algum arrependimento?
Ararinha: Em 1986, recebi um convite do São Paulo F.C. e não fui, fiquei no Santos F.C. (que burrice).

Blog: Dizem que a profissão de técnico é solitária. Você concorda?
Ararinha: Concordo, você acaba se isolando devidos os problemas que aparecem... e são muitos!!!!!!!!

Blog: Se não fosse técnico, seria o quê?
Ararinha: Gostaria de ser psicólogo, instruir e tentar afastar os jovens de drogas.

Blog: Qual a responsabilidade do técnico na formação do atleta?
Ararinha: Muitas... bons princípios, educação, moral, etc...

Blog: Algum fato pitoresco da sua carreira
Ararinha: Disputei um torneio no Chile. Antes do embarque fomos jantar, e quando voltamos tinham roubado todas nossos pertences. Eu trouxe uma melancia no avião só de bronca.
Blog: Qual a lição que fica?
Ararinha: O futebol é fantástico, você precisa participar para entender.

Blog: Qual o melhor jogador, na atualidade?
Ararinha: Kaka, do Milan.

Blog: O que você tem a dizer sobre o futebol de praia
Ararinha: Que coisa boa, quantos amigos. No passado, o futebol de praia revelou muitos craques, e você foi um dos maiores. Bem que os políticos poderiam criar meios para reativar os famosos campeonatos de areia.

Blog: Para que time você torce?
Ararinha: A.A Portuguesa Santista.

Encerrando nosso Bate Bola, apresento uma seleção de fotos para homenagear este grande amigo.

As várias facetas da morte

Malvada, agonizante, impiedosa, implacável, mas, às vezes, bem-vinda e necessária, e até reconfortante. Desta feita, veio aliviar o sofrimento do meu grande amigo Araras, nosso eterno matador. Araras era, sem dúvida alguma, um personagem carismático, e deixará uma lacuna muito grande quer pela sua maneira de ser, de encarar a vida, e, principalmente, pelo jeito como se relacionava com as pessoas, sempre com carinho e atenção.
Compartilhávamos da mesma filosofia de vida..... amigo é amigo, em qualquer circunstância e ponto final, divergindo daquele ditado que diz “amigos, amigos, negócios à parte”.

Em nome da família de EDEMIL FERNANDES FERREIRA – ARARAS, quero manifestar os sinceros agradecimentos ao Milton Neves, nosso grande comunicador esportivo, pelo excelente trabalho publicado no seu famoso link "Que fim levou", onde retrata sobre a vida esportiva do nosso inesquecível centroavante. Leia mais...

Tanto foi o seu bem viver, que no seu leito de morte estampava, de forma bastante clara, um sorriso em seu semblante, querendo dizer à todos os presentes: "Pessoal, eu vivi prá caramba".

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket Abraços do Gigi.










16 de mai de 2007

A empáfia dos bambis






Não quero banalizar este blog usando termos que não correspondem ao meu objetivo. Poderia ter usado como título desta matéria, Castelo de Areia, etc. Mas, já começa a incomodar a forma como os dirigentes do São Paulo F.C. se referem aos outros clubes brasileiros, sempre com a alegação de que são os melhores porque sua infra-estrutura é inigualável, de que a sua "moral" está acima de tudo e de todos e por causa disto se julgam diferenciados. Aliás, não resta a menor dúvida de que são “diferenciados”, pois basta ver por curiosidade, o que anda pela internet.
Acho, particularmente, que eles deveriam olhar um pouco mais para o próprio "rabo", acerca destas afirmativas. O SPFC na verdade não é um comprador, e sim um predador, isto tudo com o intuito de fragilizar seus adversários. Portanto, deixemos de blá,blá,blá, e vamos relembrar alguns fatos:

1 - Troca do Canindé x Jardim Leonor pelo então governador do Estado de São Paulo, Sr. Ademar de Barros, e posteriormente, a área do Morumbi "doada" ao SPFC através de solicitação "via política" de seu grande mandatário Laudo Natel, e sem comentar de como foi construído o tal estádio "neutro" do Morumbi. LEMBRAM-SE?

2 - Tentativa de posse do Parque Antártica, durante a 2ª Guerra Mundial, por causa do eixo nazi-fascista. Clubes como o Palestra Itália (Palmeiras) e o Germânia (Pinheiros) foram obrigados a trocar de nome, LEMBRAM-SE?

3 - Voltando a um passado mais próximo, às vésperas da final do campeonato paulista de 2005, assediou os três melhores jogadores da A.A. Portuguesa Santista na promessa de suas contratações, fato este concretizado após o título. Inclusive, segundo circulou na Boca Maldita, doando antecipadamente um carro OK a cada um deles, através de uma concessionária da Baixada, LEMBRAM-SE?

4 - Ainda mais recente, assédio à divisão infantil do SFC, levando dois jogadores que estavam sob a responsabilidade e supervisão do nosso eterno coringa Lima. Aliás, prática esta, muito comum aos “olheiros" do SPFC, LEMBRAM-SE?

5 - E, por último, para não me alongar demais, o caso Tcheco em que o próprio afirma, embora sem provas, de que sua documentação havia sido falsificada, quando de sua transferência da Arábia, por alguém do SPFC, LEMBRAM-SE?
Finalizando, gostaria de LEMBRAR -LHES, de que o quesito número um para o sucesso em qualquer atividade é a HUMILDADE.




Abraços do Gigi.

11 de mai de 2007

Quem sabe faz a hora

Se você quer saber por onde andam nossos atletas amadores, agora está mais fácil....

O link "Quem sabe faz a hora" já está no ar, e vamos começar pelo futebol , que é a minha praia. A grande maioria de nossos atletas não tiveram o devido reconhecimento, ao longo da carreira, esquecidos que foram pela mídia. Muitos já se foram levando suas histórias e glórias. A idéia é reunir o maior número de fotos e informações para que este material seja incorporado ao projeto do Museu Virtual do Esporte Amador Santista, que irá resgatar a sua memória.

Se você quiser colaborar é só enviar o material para prietogigi@gmail.com ou entrar em contato pelo telefone 13-3321-4099.

Vale lembrar a importância desta iniciativa, que poderá integrar-se aos anais da história do esporte amador de nossa cidade.

Portanto, lembre-se: “QUEM SABE FAZ A HORA”...... não espera acontecer.

Abraços do Gigi.

8 de mai de 2007

Santos F.Clube x Bad Boys da mídia ?

Estranho... mas quem seria ? E quantos não poderiam ocupar esta lacuna nestes últimos anos... Na verdade, os mais antagônicos não foram, por incrível que pareça, os clubes em si, mas sim, a imprensa protecionista, tendenciosa, alienada e geradora de factóides. Afinal quem não se lembra da final do brasileiro de 2004, quando, às vésperas, vinculou-se na imprensa que nosso treinador já tinha assinado com um grande time da capital. A história se repetiria as vésperas da final do Paulista de 2006, quando o Sr. Juca Kfouri repetiu o mesmo fato.

E agora, ao longo da semana que antecedeu a final, emergiu novo factóide envolvendo de novo nosso treinador; atacando a sua honra, questionando a sua competência na condição de “manager”, pois em qualquer time que o Wanderley inicia seu trabalho, sempre exigi carta branca para gerir as rotinas administrativas do departamento de Futebol, exatamente para não ficar refém da incompetência dos diretores do 2º. Escalão.

Não podemos esquecer o tom de profissionalismo dado por ele. Basta uma simples visita ao complexo do CT e toda a sua estrutura de apoio ao futebol profissional. Não obstante o avanço no ponto patrimonial, o clube foi em busca de reforços trazendo os mais renomados profissionais na área da medicina esportiva, fazendo parte deste time: Joaquim Grava e Milton Petroni, o Filé, integrando a competente equipe, então dirigida pelo Dr. Carlos Alberto de Gouveia Braga.

Parabéns à toda diretoria do Santos F.C, principalmente ao jovem presidente , Dr. Marcelo Teixeira , que vem mostrando sua competência e seriedade à frente da admistração do clube, haja vista a conquista de quatro títulos no curto período de 5 anos.

Por fim, merece especial atenção o trabalho motivacional realizado pelo cinegrafista Alexandre Ceolin (46) que , às vésperas da grande final, apresentou um vídeo motivacional aos jogadores, ainda no vestiário. Este vídeo foi amplamente veiculado pela mídia escrita e falada, creditando-se a ele boa parte do mérito decisivo para a vitória santista.

Clique aqui para assistir ao vídeo.

Pelo empenho dos jogadores em campo, estimulados por estratégias motivacionais e planejamentos táticos perfeitos, além de uma torcida fiel e incansável, faço uma sugestão à diretoria do Santos F.C para que edite em vídeo deste momento histórico, inclusive com o vídeo motivacional da vitória, para que fique em exposição no Memorial das Conquistas.

Seria uma justa homenagem aos responsáveis pela conquista do Bicampeonato Paulista 2007, após 39 anos.

Abraços do Gigi

6 de mai de 2007

A fantástica fábrica de chocolate

Chico Chagas, presidente do Brasil F.Clube, apresentou queixa na 3ª. Delegacia de Polícia, alegando ter avisado Carabina de que seu time, o enxuga-grama, era formado em sua maioria de portadores de diabetes, portanto, o GR 2000 descumpriu a ordem recebida, sendo intimado a comparecer naquela delegacia para prestar depoimentos. Conquanto a desobediência, Bispo, comandante do Grêmio Recreativo 2000, em sua defesa nega de forma peremptória, e afirma categoricamente que o “chocolate” administrado estava dentro dos padrões normais da OMS, com baixo teor de açúcar e dentro de um índice 9 de tolerância. Como o índice limítrofe é 10, Bispo ratifica sua tese de que não feriu nenhum regulamento. Em contra partida, Chico questiona alegando ter atingido o índice 12, mas inadvertidamente usou da somatória dos dois jogos. Bispo, relembrando os velhos tempos de matemática, explica numa conta simples, vejamos: x=3+9; x=12. Bispo ainda mostrou-se decepcionado, devido o cuidado e consideração que teve, dando o chocolate em Papinha. Outro questionamento de Chico é que o seu time reclamava da qualidade do “chocolate” dizendo que o mesmo estava com data de validade vencida, cheirando a Camarão e com gosto de Maricó... O que Bispo rebateu de imediato, dizendo o mesmo estar bem “fresco”, haja vista a presença de dois ilustres campineiros: Galindo e Rinaldo. O Delegado acabou aceitando as razões apresentadas por Bispo e condenou ao Brasil F.C. à abstinência de chocolate por uma semana, e assistir o filme a que o título desta matéria se refere.


Claro que tudo não passa de uma brincadeira, e quero deixar aqui meu agradecimento pela festa oferecida pelo amigo Carabina, e aproveitar a oportunidade para enaltecer o belo trabalho que Francisco Chagas vem realizando a frente do Brasil F.C.


Outrossim, deixo um convite em aberto para um confronto em nosso campo na ADPM, até o próximo feriado. Só que desta vez será servido o tradicional café com leite. As fotos desta partida não serão apresentadas, já que as mesmas encontram-se apreendidas para averiguações.