18 de mai. de 2007

Bate Bola com Ararinha

Em entrevista exclusiva para este blog, Ararinha (61), um dos maiores técnicos da categoria de base infantil, conta curiosidades sobre sua vida profissional.
Ararinha, Edjard Roberto Ferreira, irmão do nosso querido Araras, encerrou a carreira profissional em 1996, por conta de um derrame cerebral. Recentemente, foi homenageado pelo Milton Neves, no famoso link "Que fim levou". Saiba mais sobre sua carreira clicando aqui.

Blog: Porque decidiu pela carreira de técnico de futebol?
Ararinha: Quando chequei em Santos, fui estudar no Colégio Santista em 1961.Na época morava na pensão com atletas de futebol e não gostava de jogar. Com o tempo acabei gostando, comprei uma bola e um jogo de camisas e fundei a A.A. ALVORADA, de futebol de praia.

Blog: Qual o título mais importante que já conquistou?
Ararinha: Foi em 1978, quando a seleção santista conquistou, pela primeira vez, o título de Campeão de Futebol nos Jogos Abertos de Americana, sob o meu comando.

Blog: Qual o critério que adotava para escalar seus jogadores ?
Ararinha: Precisava gostar de futebol, não ter vícios, ser educado, respeitar os adversários e determinação. Nunca gostei de jogador violento. Acima de tudo ter objetivo, procurar sempre vencer. Digo sempre que "técnico não revela o jogador, o jogador se revela".

Blog: Em sua opinião, qual o jogador da várzea Santista que mais impressionou?
Ararinha: Deodato, e vários jogadores do Democrático.

Blog: O que é preciso para ser um bom técnico ?
Ararinha: Vários técnicos não gostavam de mim, pois acho o jogador o principal protagonista. Técnico precisa ser pai, dar cobertura no material esportivo, no ensinamento de educação, entre outros atributos

Blog: Um momento inesquecível da sua carreira
Ararinha: Foram muitos. Os melhores foram os momentos das muitas vitórias e títulos conquistados.

Blog: Qual o melhor técnico de futebol, atualmente?
Ararinha: Paulo Autuori, atualmente no Japão.

Blog: Porque todo técnico é considerado teimoso?
Ararinha: É muito difícil responder essa pergunta. Trabalhar com jogador é muito complicado porque ele sempre acha que sabe tudo... e quando alcança alguma coisa, a grande maioria fica bobo.

Blog: Na sua carreira, qual a maior alegria e maior decepção?
Ararinha: Respondo com muita seriedade, só tive alegrias. Minha maior alegria foram os campeonatos e títulos que consegui, fruto de um trabalho sério e profissional. Por outro lado, fiquei triste quando Aírton Lira perdeu um pênalti contra o Paulista, em 1984.

Blog: Algum arrependimento?
Ararinha: Em 1986, recebi um convite do São Paulo F.C. e não fui, fiquei no Santos F.C. (que burrice).

Blog: Dizem que a profissão de técnico é solitária. Você concorda?
Ararinha: Concordo, você acaba se isolando devidos os problemas que aparecem... e são muitos!!!!!!!!

Blog: Se não fosse técnico, seria o quê?
Ararinha: Gostaria de ser psicólogo, instruir e tentar afastar os jovens de drogas.

Blog: Qual a responsabilidade do técnico na formação do atleta?
Ararinha: Muitas... bons princípios, educação, moral, etc...

Blog: Algum fato pitoresco da sua carreira
Ararinha: Disputei um torneio no Chile. Antes do embarque fomos jantar, e quando voltamos tinham roubado todas nossos pertences. Eu trouxe uma melancia no avião só de bronca.
Blog: Qual a lição que fica?
Ararinha: O futebol é fantástico, você precisa participar para entender.

Blog: Qual o melhor jogador, na atualidade?
Ararinha: Kaka, do Milan.

Blog: O que você tem a dizer sobre o futebol de praia
Ararinha: Que coisa boa, quantos amigos. No passado, o futebol de praia revelou muitos craques, e você foi um dos maiores. Bem que os políticos poderiam criar meios para reativar os famosos campeonatos de areia.

Blog: Para que time você torce?
Ararinha: A.A Portuguesa Santista.

Encerrando nosso Bate Bola, apresento uma seleção de fotos para homenagear este grande amigo.

Nenhum comentário: