26 de dez. de 2007

Chulapa renova tradição

Bonita festa de confraternização programada por este carismático jogador de futebol Serginho Chulapa que, aliás, já vem se tornando uma tradição. Festa essa que se realiza todo final de ano defronte ao Aquário Municipal na Ponta da Praia, espaço cedido pelo tradicional Clube da Ponta e, a cada ano que passa torna-se um atrativo que já deveria pertencer ao calendário de programação de festas da própria Prefeitura, como foi bem lembrado no discurso de Gilberto Costa quando da entrega de um cartão de prata ao amigo Ademir Pestana. Serginho fez relembrar a década de 60, os anos dourados do futebol, onde por diversos anos aglomeravam-se nada menos do que 2000 pessoas na praia para assistir memoráveis partidas de futebol, com a presença de muitos craques da época, inclusive o Pelé. Portanto, está de parabéns meu amigo Chulapa por resgatar esta saudosa época. Seu perfil dos mais irreverentes fez de si um personagem de destaque no meio futebolístico de nossa cidade. Outro mérito seu é o valor e reconhecimento dado a muitas pessoas, tanto que desta feita distribuiu vários cartões de prata, dos quais gostaria de destacar o de uma pessoa especial e notória em nosso meio e que já está inserida no coração não só dos amantes do futebol, mas também como ser humano dos mais respeitáveis pelo seu carisma de bom camarada que é, portanto, a você Vicentão todo o meu carinho. A presença na partida de fundo entre os amigos do Serginho Chulapa foi bastante concorrida com Rui de Rosis, Clodoaldo, Carlinhos, Edinho, Márcio Rossini, Aluísio, Arouca, Marcelo Fernandes, o surpreendente Narciso esbanjando categoria, Toninho Carlos, o qual sempre afirmei ter sido o último dos moycanos como quarto zagueiro clássico, e muito outros. Estava eu, para regozijo próprio, assistindo ao lado de três monstros sagrados do futebol, Urubatão, Pepe e Gonçalo, quando me perguntaram se ainda não dava para eu jogar e de pronto respondi que o peso dos anos também já me castigava. E logo me disseram: “mas o Everaldo ainda joga, pô!” No que eu respondi: “reparem bem, que antes de começar a partida, sem que ninguém se aperceba, Everaldo, com o calcanhar, faz uma risca de mais ou menos 10 metros no sentido paralelo a linha lateral e, desta linha, supostamente imaginária, ele percorre os 90 minutos. Portanto, gente, se preparem para vê-lo jogar até os 100 anos de idade” Rui começou, todo entusiasmado, mas foi só o Narciso lançá-lo em profundidade e pronto, foi o suficiente para abraçar a galera e não voltar mais. Corró um verdadeiro malabarista entre as duas rótulas. Chulapa com prótese no dedão deitou e rolou nas bicancas. “Margarido” no apito, um show à parte. Milionário Praia Clube e o Clube da Ponta fizeram a preliminar. Nilson, uma verdadeira escavadeira, aplainou o campo para Silvinho (filho do saudoso Silvio Major) e Miguel, sob o comando de Arizinho judiarem do Clube da Ponta, mesmo contando em suas fileiras com Corró, Mauro, Adilson, Patinho, Claudinho Pelé, e acabaram vencendo o jogo por 3x1. Para terem uma idéia do sucesso da festa, havia nada menos do que 22 jogadores para cada tempo, em ambas às partidas. Claro, moçada, que o que mais vale é o reencontro e o congraçamento dos muitos amigos presentes. Me desculpem as brincadeiras que com certeza serão bem aceitas pelo carinho que tenho por todos vocês. Desde já, estou bastante apreensivo na expectativa de um novo ano de sucesso. Parabéns Serginho Chulapa. Abaixo, para rememorar os anos 60, algumas fotos da época.
Abraços do Gigi

Nenhum comentário: