12 de jul. de 2010

Fim da teimosia

O Brasil acaba de perder para uma seleção que vinha mantendo uma invencibilidade de 23 jogos, e não foi para menos. Uma seleção sem muito requinte técnico, mas com uma tática extremamente eficiente.


Soube esperar o momento certo para dar o bote. No entanto, o Brasil perdeu para si mesmo, pois até tomar o primeiro gol, numa falha deste que é considerado o melhor goleiro do mundo, estava totalmente soberano na partida.
 
Deste momento em diante começaram a fluir todas as mazelas do Senhor Dunga quanto a sua soberba. Felipe Melo, Daniel Alves, Michel Bastos, enfim, sem sequer dispor de um jogador a altura no banco de reservas, e principalmente na sua tímida escalação para enfrentar uma Holanda que se mostrou completamente apavorada no primeiro tempo, provando o quanto somos temidos pelos adversários.


Aliás, algo me dizia que alguma coisa estranha estava acontecendo, e que prenunciava algo funesto... Elano titular e fazendo gols, Luiz Fabiano fazendo um gol à "la Pelé" com dois chapéus, portanto, anomalias fora do comum anunciando um mau presságio.
 
O clima de antipatia irradiado por Dunga durante toda a Copa conseguiu que não houvesse uma comoção sequer, tanto que a maioria aceitou bem a derrota. Pensando bem, até que ele nos fez um favor por aliviar-nos de um momento de tristeza.

De fato quem mais sentiu a derrota foi nosso presidente Lula que, se por ventura tivéssemos ganho, com certeza, alavancaria a sua campanha eleitoral em prol da Dilma.

Portanto, continua sendo o eterno “pé frio”.

Abraços do Gigi

Nenhum comentário: