26 de abr. de 2009

Santos F.C perde para si mesmo






Mano joga como time pequeno e sai vencendo, mais pela imensa categoria de Ronaldo do que por eficiência do seu time. O Santos na verdade perdeu para si mesmo, mostrando total inabilidade fazendo fluir um velho chavão: “quem não faz, toma”. Obviamente, dos pés daquele que considero o rei dos “Pés Murchos”: Kléber Pereira.


Outra vez, ele enterrou o time. Acintosa e deslavada displicência, que urge de uma investigação mais apurada por parte da diretoria. Bochicho é o que não falta, portanto, fica mais fácil a averiguação.

O torcedor tem por hábito sempre fazer comparações e, coincidentemente, hoje pela manhã, nas minhas andanças pela rua XV de Novembro (caldeirão dos corneteiros), várias hipóteses surgiram com relação ao Kléber Pereira, inclusive o nome do polêmico Rui Rei acabou vindo à tona.

Sei que tenho que acatar e respeitar certos esquemas táticos no futebol, mas, por mais que eu me esforce não consigo engolir a tal “retranca”. Ela, na verdade, está montada em cima do quesito “sorte”, embora saibamos que fazer gols em contra ataque é muito mais fácil. Sendo que, quem me cala devido ao quesito sorte ter prevalecido, é ele de novo, o “Pé Murcho”.

O “timão”, ou melhor, na mão do Mano parece mais um “timinho”, conseguiu a difícil tarefa de se manter invicto. Caso para reflexão pesadíssima dentro da psicologia, ou relembrar a minha velha busca para entender a “massa”. Portanto, passo a bola para o Cabeção, pois, perder para o “curintia” não é mole não.

Mas, que a verdade seja dita, perdemos de fato para este querido e maravilhoso Ronaldo, e não é a toa que leva o título de “fenômeno”.


Abraços do Gigi

Nenhum comentário: